13 de julho: o santo dia que acolhemos Anchieta.

Santuário de Anchieta define data final da exposição das pedras originárias e anuncia novidades
10 de setembro de 2019
Eu preciso de companhia! E nós?
19 de setembro de 2019

13 de julho: o santo dia que acolhemos Anchieta.

A devoção ao Santo Apóstolo e Padroeiro do Brasil reverencia a data que, no ano de 1553, o jovem jesuíta José de Anchieta chegou à Terra de Santa Cruz.

Os ventos sopraram as caravelas. Anchieta e seus companheiros jesuítas partiram sabendo que não voltariam à sua terra de origem.

O novo mundo não era apenas aquelas terras encontradas por Pedro Álvares Cabral, o novo mundo era a manifestação do poder de Deus, da sua criação e por isso da sua glória. Era preciso, então, ir para a maior glória de Deus.

Novos tempos, novas respostas

Os confins do universo tinham ficado maiores, o mundo parecia ser um pouco mais espaçoso, nasciam novas nações.

Ide por todo o mundo e pregai o evangelho.

(Mc 16,15)

Cabia à geração de Inácio, Francisco Xavier e Anchieta cumprir e atualizar a ordem de Jesus. Dar uma nova resposta, fazer algo inédito, como é próprio do Espírito Santo que torna criativos aqueles que são dóceis ao seu movimento.

A criatividade em Anchieta

São José de Anchieta transpôs as barreiras da diferença e da indiferença. Entrou de cabeça, e também de coração, para compreender a indizível novidade que encontrara neste povo e nestas terras.

A partir do que conheceu, realizou feitos incríveis.

Como os indígenas falavam outra língua, fez uma nova gramática. Como lhes agradava a música e a dança, fez o teatro. Se eles eram, Anchieta transformou em somos.

Dia de devoção

Com apenas 19 anos, José de Anchieta chegou ao Brasil no dia 13 de julho de 1553, na cidade de Salvador, Bahia, após uma viagem que durou dois meses.

Uma vinda sem regresso. A resposta de sua vida ao chamado de Deus se cumpriu na Terra de Santa Cruz.

A chegada nos marca! Por isso, acolher é receber o outro com amor e gratidão. Foi assim que Anchieta manifestou seu amor à Santa Mãe de Deus ao dedicar a ela um poema por ocasião da chegada da imagem da Imaculada Conceição, na inauguração da igreja de Santa Ana na Aldeia de Guaraparim.

Em um trecho desse poema, Padre Anchieta escreveu assim à Maria:

Após seres grande,
serás mãe de Deus.

Hoje, para fazer memória dos 466 anos da chegada de Anchieta ao Brasil, e aprendendo contigo o bem usar da língua para beleza, nós dizemos a ti, São José de Anchieta:

Após seres grande,
fostes nosso pai.

13 de julho: o santo dia que recebemos o Apóstolo do Brasil, o Poeta da Virgem Maria, o nosso Padroeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisando de ajuda?