Como já sabemos, São José de Anchieta morreu aos 63 anos, na aldeia de Reritiba, fundada por ele no litoral sul do Espírito Santo, a 80km de Vitória. Mais tarde, a aldeia tornou-se cidade e foi honrada com o nome do santo. Hoje, igreja de Nossa Senhora da Assunção, construída pelo apóstolo do Brasil juntamente com os índios, passou a integrar o Santuário Nacional de São José de Anchieta, um conjunto arquitetônico do período colonial do Brasil que reúne também a praça da Matriz e o Museu São José de Anchieta.

A Igreja Matriz Nossa Senhora da Assunção foi construída entre os séculos XVI na chegada do padre Anchieta com os indígenas da região. Os índios construíram a igreja e a cela (quarto do padre Anchieta) onde ele morreu.

O Conjunto Jesuítico de Anchieta destaca-se pela importância que teve no processo de inculturação religiosa dos índios puris e tupiniquins, conduzido pela Companhia de Jesus no tempo da Colônia, modelo considerado pioneiro no Brasil; mas também por ter sido o lugar onde o padre José de Anchieta passou os últimos anos de sua vida.

Em 1943, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, reconhecendo a relevante importância deste monumento para a Memória Nacional, promoveu seu tombamento.

Em 2014, com a canonização de São José de Anchieta, o Santuário ganhou mais atenção de todos. Todos os dias, especialmente no dia 9 de junho, milhares de pessoas recorrem ao Santuário para celebrar a memória do Padroeiro e Apóstolo do Brasil

Em 2015 a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) declarou Santuário Nacional o quarto onde o santo faleceu e nomeou São José de Anchieta padroeiro da nação brasileira.

Visite o Santuário Nacional de São José de Anchieta!

Precisando de ajuda?